Suzana Herculano-Houzel – Eu quero esse que está na sua mão! – 03/07/2012

03/07/2012 – 03h33

Eu quero esse que está na sua mão!

As crianças sabem: o brinquedo na mão do colega é sempre mais divertido. Adultos também conhecem o fenômeno. Em lojas, uma roupa ou um computador sendo manipulado por outros clientes subitamente é exatamente o que você queria.

Esse é o conceito de “desejo por imitação”, imortalizado pela recém-falecida roteirista Nora Ephron na cena do restaurante do filme “Harry e Sally”. Nela, a vizinha de mesa vê Meg Ryan ter um orgasmo sobre um prato de salada e pede à garçonete que lhe traga “o mesmo que ela pediu”.

Um estudo recente de um grupo de neurocientistas, na França, mostrou que o que acontece em nosso cérebro ao observar um objeto ser manipulado por outra pessoa está surpreendentemente perto da cena do restaurante: uma interação entre o sistema de neurônios-espelho e o sistema de recompensa, que faz com que aquilo que é manuseado por outra pessoa se torne subitamente interessante.

Neurônios-espelho são células encontradas em regiões do cérebro como o córtex parietal e o pré-motor que representam um mesmo movimento tanto quando é feito pelo próprio cérebro quanto pelo de outra pessoa. Esses neurônios “refletem” automaticamente ações alheias e nos permitem tanto imitá-las quanto interpretá-las.

Usando ressonância magnética funcional para acompanhar a ativação do cérebro de voluntários, o estudo francês mostrou que, como esperado, observar mãos fazendo movimentos no ar ativa o sistema de neurônios-espelho –mas não o sistema de recompensa, aquele conjunto de estruturas que sinalizam quando algo especialmente bom ou interessante acontece.

Apenas visualizar objetos soltos, como bombons, brinquedos, roupas ou ferramentas, não ativou especialmente o sistema de recompensa. Mas quando viram mãos alheias manipularem os mesmos objetos, bingo: não só o sistema de recompensa foi ativado como os voluntários relataram um desejo bem maior de manipular aquele objeto também.

O “desejo por imitação”, portanto, não só é real em nosso cérebro como vem da influência funcional do sistema de imitação (neurônios-espelho) sobre o sistema de desejo (sistema de recompensa e motivação), segundo o estudo. É um tanto útil: se algo for interessante para seu vizinho, você deverá se interessar também. Somos macacos de imitação não apenas das ações alheias, mas também dos seus desejos…

Suzana Herculano-Houzel, carioca, é neurocientista treinada nos Estados Unidos, França e Alemanha, e professora da UFRJ. Escreve às terças, a cada duas semanas, na versão impressa de “Equilíbrio”

via Folha.com – Colunistas – Suzana Herculano-Houzel – Eu quero esse que está na sua mão! – 03/07/2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s